28 de out de 2013

A Anta

"Tyger! Tyger! burning bright / In the forests of the night"
W. Blake, The Tyger

Anta! Anta! Baça chama
Pelo chão de Pindorama, 
De que mente doentia 
Vem tua enorme letargia? 

Em que abismo ou firmamento
Fez-se teu olhar tão lento?
Quem, tomado de preguiça,
Deu-te luz assim mortiça? 

Qual engano & inação
Fez-te fraco o coração?
E esse estorvo que tu és,
Que terríveis mãos & pés? 

Que gambiarra ou improviso
Fez-te assim, tão sem juízo?
Que artesão meia-tigela
Deu-te à luz sem mais aquela? 

Quando riram-se as estrelas
Das tuas falhas ao bem vê-las,
Quem te fez achou-te um brinco e
Fez, também, o ornitorrinco? 


Anta! Anta! baça chama
Pelo chão de Pindorama,
Ai, que mente doentia
Fez-te tonta assim, um dia?