29 de out de 2009

Lápis de Cor

Em novembro a força da gravidade
E os manacás, ipês, jacarandás
Fazem das calçadas da cidade
Uma caixa de crayons da Caran d’Ache.

28 de out de 2009

Ração Premium

Mora dentro do meu peito um cão pastor
que alimento todo dia só de sangue
de unicórnios cor-de-rosa e furta-cor
e de lindos e gorduchos teletubbies.
Quero mais que se estrumbique, que se exploda
quem critique, denuncie, quem comente
E quem diga ser estranha essa dieta
E que o bicho não hesite, antes morda
com vontade a bunda mole dessa gente
tão politica(la)mente(-se) correta.
tão politica(la)mente(-se)

27 de out de 2009

Subreal

Escrever um poema catarse,
rasgar, com pena de aço,
a pele fina do lado
de dentro do braço.
Escrever um poema vermelho:
copiar em sangue e pus
a imagem no espelho
de olhos de cão andaluz.

22 de out de 2009

Dinastia

(postado originalmente no blog gótico Vale das Sombras - link na lista ao lado)

Toma o dom desta oferenda:
fecha os olhos, ergue o queixo
sente os dentes na garganta.
O presente que te deixo
é a força, amor, que espanta
esta dor que te atormenta.

Não há pena, te asseguro,
Pra quem vença a própria morte
(não há deuses, nem inferno).
Te farei minha consorte,
Serei teu marido eterno:
Reinaremos no escuro.

21 de out de 2009

Anacronismo

Acreditem ou não, há quem diga
que hoje vivem aqui velhos mitos
degredados da Hélade antiga
e dos bosques da Arcádia banidos.

Que uma dríade ainda está viva,
escondida no caos paulistano,
disfarçando-se de executiva,
por detrás de orçamentos e planos.

E que um fauno usa roupas de grife,
camuflando do jeito que pode
sua cauda, seus pelos, seus chifres,
os seus cascos e patas de bode.

A metrópole é um tipo de Hades,
é um mundo distante do seu,
onde matam um no outro as saudades
do que tinham à beira do Egeu.

17 de out de 2009

Picadeiro

De frente pra platéia,
o cara equilibra rimas,
joga palavras pra cima
como quem faz malabarismo
com três motosserras ligadas
e seis granadas sem pino,
mas sabe que o público espera
é só pra ver se ele erra.
Só isso e mais nada.