1 de fev de 2010

Bronca

Alice, Alice,
Que foi que eu te disse?
“Não prova do bolo, não segue o coelho,
Nem tenta passar pr'outro lado do espelho”.
Te perdeste de vez no caminho que trilhas
De um lado pro outro em país de armadilhas.
Alice, Alice,
Que foi que eu te disse?
Por que não escutas quem bem te aconselha?

Alice, Alice,
Por que não me ouviste?
É falsa a lagarta e o gato, matreiro.
E mentem a lebre e esse tal chapeleiro
(Mas podes contar com a enxurrada de choro
E há um risco real de perder a cabeça).
Alice, Alice,
Por que não me ouviste?
O mundo que sonhas só em sonhos existe

9 comentários:

Ingrid disse...

Adorei este poema, muito mesmo.bjs

eliane disse...

MUITO BOM !!!

INTELIGENTE TB ! GOSTEI !

Marcia disse...

Eu bem que te disse Alice, mas
você ficou no "país das maravilhas..." e agora Alice ?

MaicknucleaR disse...

ha´. eu lembro desse !

Rommel Werneck disse...

Que retrô!

rita disse...

allan, gostei bastante dos teus textos e com todo o (des)respeito, tô reproduzindo no meu blog este aqui com o devido crédito e um link para o teu blog...

Allan Vidigal disse...

Grato, gente.
Rita, depois posta o endereço do seu blog aqui pro povo ver o que mais tem lá.

rita italiano disse...

Opa e obrigada!
http://pensamentosnoaquario.blogspot.com/
bj

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

Alice, o teu nome NÃO principia
na palma da minha mão.
Vc confunde alho com bugalho
e dá uma puta confusão.