28 de mai de 2010

Acalanto

Um mundo puro e sem males,
vicissitudes
e defeitos
que resume-se ao teu peito.

Universo sem segredos,
sem temores,
sem receios
que encontro entre teus seios.

Um cosmo livre de erros,
e de culpa,
e de dolo:
aninhado no teu colo.

Nenhum comentário: