6 de jun de 2010

Hamelin

Nossas crianças se foram, dançantes,
atrás do forasteiro e sua flauta.
Não estivéssemos tão ocupados
celebrando a partida dos ratos,
quem sabe teríamos antes
e a tempo sentido sua falta.

3 comentários:

Flá Perez (BláBlá) disse...

gostei.

Lúcia Gönczy disse...

Que coisa mais linda, Allan. Me arrepiou! No mais, seu Blog é smepre um presente sensível, inteligente, irônico e, algumas vezes, depudorado...ou seja, perfeito!

beijão

Lúcia Gönczy

João Paulo Hergesel disse...

Poema muito bom! Proporciona uma maravilhosa reflexão.