21 de nov de 2010

Aterro Sanitário

Entre os dejetos e os descartes
(Darwin ou Lavoisier?),
no meio daquilo que ninguém quer
bem no meio, ali,
daquilo que seria um hodierno sambaqui,
o mais banal dos embates.

Cravam as presas pequeninas,
arrastam garras e dentes
nas carnes do oponente,
dois ratos e uma criança com fome.

Quem ganhar come.

Um comentário:

Lúcia Gönczy disse...

PQP!... Falar o quê?
Que é fantástico? sim - é fantástico como o terror(tão real) pode ser descrito...
É a realidade nua e crua.(vi a cena)
Parabéns, Allan.
beijão

Lúcia