10 de mar de 2011

Conclusão

Lida a crítica de cabo a rabo,
devassada a teoria literária,
constato o inconteste fato:
um poema só é bom quando agrada
tanto a quem conhece o riscado
quanto a quem não manja nada.

Um comentário:

Anga Mazle disse...

Tenho minhas dúvidas, Allan. Será que quem não manja nada lê poesia?

Bem, o que importa mesmo é que gosto dos seus poemas, embora não manje nada...

Estarei sendo contraditória?

Um abraço