12 de nov de 2009

Melhor

Quem sabe, um dia desses,
não faço um texto bonito,
com palavras que ninguém nunca diz?
Coisas como, sei lá, "plenilúnio",
"melenas", "primaveril".
Quem sabe não dou sorte
e emplaco uma mesóclise
de dar inveja aos parnasianos?
Mas não, melhor não mudar nada,
nem tentar escrever
como faziam há duzentos anos:
não dá pra ser o que eu não sou.
Prefiro escrever do meu jeito,
verso, prosa e rock'n'roll.

5 comentários:

Reflexo d Alma disse...

Ei!
Essa é a magia de quem lida com a ' palavra',
penso que 'liberdade'
é algo perto
de escrever
sem reservas...
Linda semana pra nós!
Bjins entre sonhos e delírios

Ana Cristina (Nika) disse...

muito bom!
...melhor mesmo... usar palavras "que ninguém conhece" é pra quem não quer, de fato, dizer algo, se comunicar.

Também prefiro a liberdade de escrever o qeu me dá na "teia"...rs
beijos

Anônimo disse...

Prefiro essa escrita regada

Allan, I do not buy the bullshit.

Z

Allan Vidigal disse...

ain't for sale anyhow, dude.
;)
take care

FláPerez (BláBlá) disse...

a escrita primaveril
que vá pra puta que a paril!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk