12 de fev de 2011

PB

Caiada de branco a igrejinha da matriz.
Pedra sim, pedra não, caiado o meio-fio.
E os tijolos que demarcam os limites dos canteiros
e os separam dos passeios.
E os troncos das árvores e os postes caiados
(até a altura de um metro e meio).
Caiados os bancos e as colunas do coreto.

Com todo esse branco, com tanto contraste,
como explicar a invisibilidade
do menino que dome com fome e com medo?

Nenhum comentário: