17 de dez de 2008

Insight

Hoje tive um desses. Um desses do título.

Quem desencadeou foi minha irmã, enquanto esperávamos uma mesa no restaurante. Falávamos de um assunto que normalmente prefiro evitar, a não ser quando escrevo para mim mesmo. Escrevo para mim mesmo, mas acabo postando em algum fórum ou blog. Agora é aqui no macaco narcisista. Escrevo para mim, mas depois vou e penduro na frente de quem bem quiser ler, vai entender. Enfim, o assunto: vida pessoal. Vida amorosa, mais especificamente.

Uma vez disse para um grupo de amigos muito especiais que sou "a borderline pathological people pleaser". Sou mesmo. Gosto de agradar as pessoas. É algo que faço com a maior naturalidade. Não é esforço algum.

Isso com as pessoas em geral. Imagine como é com as mulheres com quem me envolvo. Não faço por obrigação, ou por medo de perder a pessoa, ou por que quero algo em troca. Faço por que me dá vontade.

Mas voltando ao insight. Falávamos de um ex-relacionamento meu recente quando ela soltou a bomba: "Você começa a namorar mulheres fortes e independentes...". E eu interrompi: "Só gosto de mulheres fortes e independentes." "Deixa eu terminar." "Tá, sorry." "Você começa a namorar mulheres fortes e independentes e elas viram umas tontas."

Eu já tinha uma resposta engatilhada, mas engasguei. Acho que vi com o canto do olho o insight se aproximando e me distraí. Ela aproveitou a pausa (que veio acompanhada, imagino, de um olhar meu completamente idiota) e disparou: "Acho que você cuida tanto que elas pensam que é isso que você quer."

Em primeiro lugar, ela tem toda a razão. É a pura verdade. Começo a sair com alguém que me chamou a atenção por que parece ser à prova de bala e, quando vou ver, estou saindo com uma mulher infantilizada. Teve uma ou outra exceção, mas a regra é essa. E o tontão aqui nunca tinha ligado as coisas!!!

Cara, será que é tão difícil assim? Não dá para aceitar ser cuidada sem virar criança? E mais: não dá para aceitar ser cuidada e não pensar que a via é de mão única?

Insight é um saco: a gente percebe o problema, mas isso não quer dizer que veja a solução. O que é que eu vou fazer com isso? Deixar de cuidar de quem eu gosto? Fora de cogitação: nem saberia como, fora que acho que não ia ver graça alguma em estar com alguém sem cuidar, mimar, fazer graça, surpresa, tratar como se fosse a coisa mais preciosa do universo (que, diga-se de passagem, é mesmo, pelo menos enquanto durar o relacionamento). Enfim, não vai ser por aí. Quem sabe eu penduro um cartaz no pescoço: "Olha, moça, é o seguinte: eu vou te mimar como você nunca foi mimada. Por favor, não entenda isso como convite para perder uns quinze anos de idade mental."

Sei lá. Preciso pensar melhor nisso tudo.

Um comentário:

Flá Perez (BláBlá) disse...

talvez namorar alguem que precise ser cuidada, pq não é à prova de balas.
a mulher que parece ser assim forte pode estar fingindo(no começo do namoro sometimes-quase sempre isso acontece, principalmente com as espertas)
namorar uma mulher que precisa de cuidados: pode ser que vc a faça forte com a sua segurança e carinho. ela será grata na mão dupla, pelo menos por um tempo(nada é pra sempre)
sou péssima nas minhas relaçoes,(sou seu contrário, os meus ex só cresceram comigo),
mas sou boa conselheira rsrsrsrs
think about it, rsrsrsrsrsrsrs