5 de ago de 2010

Debalde

Procurei na poesia,
nas palavras do vate –
fosse no literal,
fosse nas entrelinhas –
um sinal qualquer de verdade.

Mas debalde:
todo poema é mentira;
todo poeta é uma fraude,
mitômano armado de lira.

2 comentários:

Flá Perez (BláBlá) disse...

ehhhhhhhhhh
vivaaaa!
vc usou o bebalde!!!!!!
e mto bem!

Sylvia Araujo disse...

"todo poeta é uma fraude,
mitômano armado de lira."

Bingo!

Adorei, Allan!
Beijo procê